4.2.10

Factos sobre a Irlanda

.
Já todos ouvimos dizer que, entre outras medidas extremas, a Irlanda baixou os vencimentos dos funcionários públicos e subiu os impostos.

O que poucos parecem saber é que:

a) Apesar disso, a previsão do défice público irlandês para 2010 é de 12%, muito pior do que qualquer outro país da zona euro;

b) A Irlanda não assumiu qualquer compromisso de reduzir o défice abaixo dos 3% até 2013.

A pergunta é, pois, esta: por que é que Comissão Europeia aceita o plano da Irlanda e considera insuficientes os de outros países que já em 2010 se propõem ir bem mais longe na redução dos seus défices?
.

7 comentários:

Anónimo disse...

Bem visto!
Já reparou nesta descarada tentativa de manipulação por parte da CNBC em criar alarmismo face à situação económica portuguesa:
http://www.cnbc.com//id/35232648
Bond Markets Pressure Portugal, IMF Chief Warns

Na entrevista original, DSK nem sequer refere o nome de Portugal, falando amiúde da Grécia e da Espanha, em sentido lado da economia dos países avançados, e na sua maior extensão sobre o panorama Francês.
poderá constatar aqui:
http://videos.rtl.fr/video/iLyROoafIOKX.html

Anónimo disse...

Porque é lá que as multinacionais técnológicas têem base europeia montada. O poder do lobbying.

António Parente disse...

João Pinto e Castro

A Irlanda não assumiu nenhum compromisso até 2013 nem vai assumir. Se ler o relatório da comissão europeia sobre a Irlanda (são só 20 páginas) descobrirá que o compromisso de 3% é para 2014 e não 2013.

Depois pega no programa da Irlanda para o período 2010-2014 e perceberá como o défice vai descer até 2,9% em 2014 e o ritmo de descida ao longo do período.

São só 47 páginas, a leitura compensa.

Finalmente, leia o relatório da comissão europeia mencionado no primeiro parágrafo e tem a resposta para a pergunta do seu post.

Dá trabalho mas compensa o esforço.

ze disse...

Acho que as pessoas se deviam informar antes de lançar este tipo de "pseudo-informação", porque se fôr pesquisar um bocadinho verifica que a poupança só este ano chega quase aos 1000 milhoes

João Pinto e Castro disse...

Obrigado, António, mas estou a par.

Anónimo disse...

A questão em causa, e com que todos se deveriam preocupar, não é o facto da sittuação estar a ser empolada por A, B ou C. Ou se estamos a ser perseguidos por X, Y ou Z! A crise existe e ponto! Existe e criou raízes há muito.

É fácil desculpa a nossas falhas com as degraças dos outros mas, fazer o papel de vitima sempre foi o nosso problema! Ninguém é vitima, é necessário limpar a casa e viver à medida do que nela existe. Estado e familias vivem muito acima do que é possivel e mais tarde ou mais cedo a factura terá que ser paga.

Sim, é um facto! A crise estalou na Irlanda há pouco mais de um ano.
Rápidamente os mercados reagiram, o preço da habitação e do consumo desceu, ''fácilmente'' se reduziram os mais altos salários suportados pelo estado, desmotivaram e reduziram o acesso ao credito, fomentou-se a poupança. Por exemplo, não há qualquer comparação entre o peso da educação e saúde nas contas do estado, nem existem infraestruturas megalómanas para os contribuintes pagar. São apenas alguns exemplos!

Em resumo, qual destes paises tem a possibilidade de reduzir o défice e a divida externa mais rápida e fácilmente? Os mercados acham que o pagamento da divida Irlandesa não está tão em risco como a Portuguesa, têm alguma dúvida?

Um bom dia a todos!

António Parente disse...

Preferia que me tivesse dito que não estava a par, João.