29.10.11

Contra números não há argumentos

.
Vivaldi terá escrito, segundo uma contagem fidedigna, 478 concertos. Ouvir toda a música de Bach é tarefa para uma vida: só cantatas foram umas 300, entre sagradas e profanas, mas esse foi apenas um dos muitos géneros a que se dedicou. Ao morrer deixou tantas partituras escritas que o seu sucessor achou que teriam melhor uso se delas se servisse para embrulhar peixe.

Com Haydn, desceu-se um patamar de produtividade: 108 sinfonias, 83 quartetos e 26 missas, a par de muitas outras peças menores, pode impressionar, mas só por comparação com o que veio depois. Mozart, que viveu pouco, ainda produziu 52 sinfonias e pelo menos 40 concertos, para além de 19 missas e 23 óperas, mantendo-se ao nível do seu grande antecessor.

É com Beethoven, o primeiro compositor que jamais foi empregado de um aristocrata, que as coisas começam claramente a descambar. Os seus 57 anos de vida apenas renderam 9 sinfonias, 7 concertos, 2 missas e, a muito custo, uma ópera. A partir daqui, instala-se a ineficiência: Schubert, Dvorak, Bruckner e Mahler ficaram-se todos eles pelas 9 sinfonias; Tchaikovski só compôs 6; Mendelssohn, Schuman, e Brahms não foram além das 4; Berlioz e Lizst limitaram-se a uns quantos poemas sinfónicos cada.

Os mais destacados compositores do século XX - entre eles Debussy, Ravel, Stravinsk, Bartok, Gershwin, Schonberg e Berg - pouco escreveram. Chostakovitch destaca-se claramente de todos eles com 15 sinfonias, 6 concertos e 2 óperas, mas esse, sendo artista do povo da União Soviética, era obrigado a dar ao pedal para justificar o salário.

Como se vê, é muito fácil alinhavar um chorrilho de disparates mencionando apenas factos e números verdadeiros.
.

3 comentários:

Anónimo disse...

Muita internet.
Imensa informação.
Meio neurónio para a digerir.

Kahorka Tudesca disse...

O Bee Gee T'Oven era surdo daí a fraca produção

O Berg era gélido e vivia num clima danado tinha preguiça

O herói da URSS ou fazia pela vida ou era abatido ao efectivo por burguês

cерге́й cерге́евич Проко́фьев outro ruski nascido na ukrânia compôs a 1ª obra aos 9 anos interrompido pela revolução compõe compõe mas nã vende nada, ódespois vai pa Paris volta à Ruskia e faz uma cantata naquele dramalhão cheio de cavaleiros teutónicos e um super-homi salvador Nevskiano
logo a produção conseguida e vendida ou publicada

não é representativa da produção do artista
quantos quadros Van Gog y Magog destruiu

quantas sinfonias inacabadas e perdidas
quantos trechos jogados fora

Quantos Salieri de susexo?

num sê se tá aber u point
nem tutto Peter Pan tem seu Lobo

e o tal szostakowicz disse...

Devia ter uns quantos antecedentes polacos exilados na sua russofonia

e acho que deve ter produzido mais do que essas obras....tive a infelicidade de compartilhar uma casernela cum um admirador do gaijo
e definitivamente se não chegam às 300 obras deve andar lá perto...

e os tudescos pós guerra 1ª karl orfeão e símiles

bom o ponto era as statistiques y as cifras são deshumanas desayuno?

no?
ok...é que ódespois também há os gostos pessoais Salieri até tem coisas giras e a 9ª chateia-me os sovacos y 1812 tem tanto barulho quinté eu que sou surdo ouço

e há quem goste de valsas

e das marchas à de Sousa