30.6.08

José Manuel Moreira, mais um grande especialista em economia irlandesa

Diz que não viu por lá nem auto-estradas, nem TGV.

Espero que não tenha sido obrigado a chegar à Irlanda a nado nem a calcorrear a ilha a pé.

PS - José Manuel Moreira acrescentou que a Noruega também não tem estradas. Meu Deus, como é que ainda não lhe ocorreu o exemplo da Islândia? Seria a estocada final.

PPS - O Afeganistão não tem um só quilómetro de linha de caminho de ferro, notem bem. E ninguém se queixa disso.

8 comentários:

jj.amarante disse...

Uma vez um irlandês disse-me que o sucesso da Irlanda sendo real era algo exagerado pois as multinacionais enquanto subfacturavam em países de impostos altos sobrefacturavam em países de impostos baixos como a Irlanda. É só uma boca verosímil ou existem estudos sobre este tema?

GL disse...

Mas em plena crise do petróleo alguém ainda consegue ser contra o TGV? Por amor de Deus.

A. R. Ray disse...

JJ amarante: é um facto e há estudos sobre o assunto. O "sucesso" irlandês é conseguido à custa de multinacionais que lá se instalaram porque os impostos são baixissimos (máximo = 12,5%). Isto faz com que a Irlanda apresente um elevadissimo PIB, mas pouco real porque o dinheiro é de lá retirado pelas ditas multinacionais.
A Irlanda estatisticamente é um dos maiores exportadores mundiais de tecnologia...Mas sabe em que consiste essa tecnologia? Sobretudo software e versões digitais de produtos multimedia que são vendidos através da Irlanda mas não produzidos lá. A vantagem de serem vendidos na Irlanda é que lá não se taxam royalties em produtos que tenham direitos de autor.
Infelizmente para eles o modelo económico Irlandês um dia destes vai rebentar-lhes na cara...
Já visitei várias vezes o país e devo dizer que há uma total ausência de infraestruturas e que fora das 3 grandes cidades - Dublin, Cork e Galway- só há carneiros e subsidios da UE mal gastos. As estradas são péssimas e o sistema de saude é uma desgraça total. A única coisa que devemos copiar destes senhores é o código laboral bastante mais liberal que o nosso. Souberam também usar muito bem a comunidade irlandesa na diaspora, nomeadamente nos EUA para iniciarem os contactos empresariais nos anos 80 e atrair investimento para o país.
Quanto a estudos lembro-me há vários mas online só tenho um bookmark sobre o assunto:
http://www.hm-treasury.gov.uk/media/1/3/varney171207.pdf

Anónimo disse...

Estive na Islãndia. Têm boas estradas, não têm autoestradas. Não têm porque não há tráfego rodoviário suficiente! 8 carros parados num cruzamento, para eles, é um engarrafamento!!Aquilo é um deserto de lava vulcãnica e as cidades são paróquias.Anda-se de carro pelo interior e só de hora a hora se cruza com outro. Apesar de tudo estão a iniciar a 1ª autoestrada porque vão construir um porto internacional....


C. Indico

João Pinto e Castro disse...

Essa auto-estrada vai ser a ruína da Islândia.

Anónimo disse...

Já agora: apesar de terem herdado um aeroporto dos Americansos, tipo Lage, há dez anos atrás, decidiram arrasá-lo e construir um novo a 70 Kms da capital. São tão burros....

C. Indico

Tarzan disse...

Mas por cá o TGV da celeuma é o que liga Lisboa-Porto com paragens no caminho. A Irlanda poderia ter uma linha no género e não tem.

João Pinto e Castro disse...

Não há paragens pelo caminho no TGV Lisboa-Porto. O que haverá, por exemplo, é uma ligação directa Lisboa-Aveiro.