10.2.09

Marklin vítima da crise

.

.

3 comentários:

Anti PS Neoliberal disse...

Tenho uma preciosidade destas com mais de 70 anos, era do meu pai, LINDA de morrer, cheia de pormenores com uma fidelidade incrível, se acabar é pena, os "putos" hoje já não se interessam por este tipo de brinquedos.

Anónimo disse...

O meu, entretanto entregue a um afilhado, começou a ser feito há 50 anos.

De facto, só os "putos" de ontem ainda brincam com os comboios electricos, tenho um amigo com 60's e dois filhos nos 30's que mantêm, em perfeito funcionamento, um sistema ferroviário em miniatura - é hobby de fim-de-semana e férias, em casa de família no Portugal profundo

Helena disse...

São lindos, é verdade.
Mas cada locomotiva custa à volta de 300 euros.
Só as figurinhas que estão na fotografia, compradas em segunda mão, devem custar entre 6 e 8 euros.
Etc.
Quem é que põe na mão dos "putos" preciosidades destas?!

O mesmo se diga para as casinhas de bonecas e respectivo recheio do Bodo Hennig, outra empresa alemã - já há anos que essa empresa ameaça fechar. Esta crise não é de agora.
Quem pode pagar mobílias arte-nova ou Biedermeyer em miniatura, ao preço de móveis verdadeiros no IKEA, e entregá-los a crianças?

Temos um sistema ferroviário da Märklin cá em casa. Fascinante ver o movimento das rodas e o fumo, ouvir os ruídos ao acelerar ou travar. À noite acendem-se as luzes da cidade e das locomotivas - mágico. Encontrámos uma loja que vende restos antigos - figuras vestidas à maneira dos anos 60, por exemplo, em caixas onde está inscrito "made in West-Berlin". Um festim.
Mas não sabemos como vai ser para comprar peças de substituição, quando algum coisa se estragar.