9.4.09

Um ódio só não basta?

.
Parece claro que uma parte substancial da população detesta Sócrates. Uma outra, porventura não inferior, não pode ver Barroso nem pintado.

Logo, o PS está a pedir-nos que votemos simultaneamente nas europeias em duas personalidades que, em conjunto, quase fazem o pleno do ódio popular.

Pior que pouco inteligente, a estratégia é suicida. Mais grave ainda, dizer-se que Barroso é o candidato de Portugal à Presidência da Comissão Europeia mesmo que o Partido Socialista Europeu saia vitorioso das eleições de Junho próximo equivale a retirar-lhes importância.

Nestas circunstâncias, para quê votar? Só se for, claro está, para infligir uma derrota à coligação Sócrates/ Barroso. Vamos a isso?
.

2 comentários:

Anónimo disse...

Se elas forem marcadas para o período vizinho dos "feriados de Junho", tenho impressão que haverá vitórias por falta de comparência ...

"Anónimo do 1º ao 7º (...)"

GL disse...

Ora criticam pelo eleitoralismo, ora pelo seu contrário.
Como é difícil agradar a toda a gente. É desesperador.