16.7.08

Como melhorar o seu salário real

Tem razão Constâncio quando diz que, nas actuais circunstâncias, actualizações extraordinárias dos salários nominais só piorariam a situação.

A presente descida dos salários reais não resulta de uma redistribuição do rendimento a favor do capital, mas de uma redistribuição do rendimento a favor dos países produtores de petróleo e outras matérias-primas. Logo, não há mesmo nada a fazer.

Todavia, quem puder reduzir as suas deslocações e desligar o ar condicionado, substituindo esses consumos por outros de produtos menos afectados pela alta do petróleo, beneficiará de uma subida de preços mais moderada e poderá, contra a corrente, melhorar o seu salário real.

Mas não é preciso ensinar isto a ninguém, porque é o que todos naturalmente tenderemos a fazer como reacção ao aumento dos preços relativos dos bens com maior conteúdo energético.

2 comentários:

GL disse...

Já houve quem preconizasse que, na impossibilidade de se fazer política cambial por causa do euro, Portugal deveria reduzir em 10% os salários, de forma a obter aumento de produtividade.

Num momento em que se verifica uma inflação baixa, ao mesmo tempo em que se convive com um dos preços de combustíveis mais altos da UE, seria interessante saber se pelo menos vamos obter ganhos de produtividade com esta conjuntura.

Tarzan disse...

Não defende nenhum subsídio? Nem uma ajudinha estatal? Está-me a sair ca um liberal :-)

Belo post!