4.7.08

Serviços públicos em duplicado

Lido no Jumento:
"Na entrevista que deu a uma muito dócil Constança Cunha e Sá a líder do PSD deu-nos mais um bom exemplo da profundidade do seu pensamento político, defendeu, a propósito do encerramento dos centros de saúde, que o Estado deveria construir os centros de Saúde e só depois, quando os cidadãos soubessem que o novo era melhor, seria encerrado o antigo. Já estou a ver, quando a comadre tivesse uma enxaqueca ia a um e quando precisasse da pastilha para a tensão alta ia ao outro. Durante uns meses o Estado pagaria a despesa dos dois centros, até que a maioria dos habitantes optasse por um. E se os cidadãos optassem pelo velho? Manuela Ferreira Leite mandava demolir o novo?

"Pois é, não há dinheiro para as obras públicas, logo, também, não há dinheiro para os pobres, mas há dinheiro para manter cem ou duzentos serviços públicos em duplicado. Bem, estou a partir do princípio razoável de que esta solução brilhante só se aplicaria aos centros de saúde, ainda que seja igualmente eficaz para a generalidade das infra-estruturas públicas, senão teríamos que ocupar parte de Espanha para podermos ter um Portugal em duplicado.

"Esta solução de Ferreira Leite lembra-me as senhoras que vão comprar o vestido ao El Corte Inglês, usam-no no casamento e depois voltam lá para o devolver com a desculpa que lhes ficava mal. Se no caso das obras Manuela Ferreira Leite me lembrou a Madre Teresa, já na solução para os centros de saúde a líder do PSD encontrou uma solução digna das dondocas do nosso Jet Set."

1 comentário:

GL disse...

Já toda a gente percebeu que Ferreira Leite tem mais no que pensar na vida do que apresentar como alternativa.

Mas porquê não disse que não?