18.7.08

Sociedade do conhecimento

Em finais de Abril, encomendei através da Amazon americana quatro livros não disponíveis na filial inglesa.

O carimbo do correio comprova que foram expedidos nos primeiros dias de Maio, mas o pacote só me chegou às mãos na última 3ª feira.

Sei o que estão a pensar, mas os livros vieram de avião, não em barco a remos. Estes quase dois meses e meio, passaram-nos eles na alfândega portuguesa à espera de serem despachados.

Por esse inestimável serviço prestado ao país e a mim próprio, cobrou-me a Direcção Geral das Alfândegas 13,62 €. Há coisas fantásticas, não há?

2 comentários:

GL disse...

Ora, João... os funcionários da alfândega tinhamde ler os seus livros primeiro. Pense no bem que fez em esperar.

jj.amarante disse...

Felizmente que a globalização ainda não chegou a todas as encomendas da Amazon e que temos a Direcção Geral das Alfândegas que nos protege... Como eu detesto as alfãndegas...Mas com tantos rounds da Organização Mundial do Comércio bem podiam já ter chegado à livre circulação de livros, pelo menos entre a Europa e os E.U.A.